...

Brasileiros em Gaza recebem ajuda do governo federal para água e alimentos

Os brasileiros que aguardam a abertura da fronteira entre o Egito e o sul Faixa de Gaza receberam nesta terça-feira (17) ajuda da embaixada do Brasil para compra de água, alimentos e demais itens de primeira necessidade. No entanto, enquanto o grupo fazia as compras, uma bomba caiu próximo ao mercado.

Todos estão abrigados em uma residência alugada pela embaixada brasileira na cidade de Rafah, próximo à fronteira com o Egito.

“Queria agradecer muito o povo brasileiro. Todos que estão nos acompanhando pelas redes, pelo jornal, pelas notícias, pela internet, obrigada a todos por estar conosco, também à embaixada brasileira”, afirmou Shahed Al-Banna, de 18 anos. A brasileira está em Gaza há cerca de um ano e meio, desde quando foi visitar a mãe que estava doente.

Shahed filmou quando um explosivo caiu próximo ao supermercado: “gente, bem do lado de onde a gente está caiu uma bomba bem aqui”, relatou.

Já o palestino naturalizado brasileiro Hasan Habee, de 30 anos, disse que o pessoal da embaixada brasileira entregou alimentos e água na residência onde ele está hospedado, na cidade de Khan Yunis.

“Muito tempo a gente estava sem água para beber. Obrigado governo do Brasil, embaixador do Brasil, equipe da embaixada que conseguiu mandar pra nós a alimentação, bebida, bastante água, dá para bastantes dias. A gente estava louco para beber água boa”, explicou.

Hasan Habee vive em São Paulo com a mulher e as duas filhas menores. Ele foi à Gaza poucos dias antes do início dos ataques para visitar a família. Desde então, tenta deixar a zona de conflito. Nessa terça-feira (17), Habee informou que os bombardeios na cidade continuam intensos.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o escritório de representação do Brasil em Ramala, na Palestina, tem mantido contato direto com os brasileiros, fornecendo, inclusive, ajuda psicológica. O embaixador do Brasil no local, Alessandro Candeas, disse que eles foram avisados de que estava começando a faltar água e alimentos.

“Enviamos recursos e eles conseguiram comprar água, alimentos, remédios. Isso nos dá mais tempo e tranquilidade até que seja aberta a fronteira e eles possam sair”, completou Candeas.

Falta de água

A população da Faixa de Gaza vive um cerco de Israel e sofre com a falta de água, eletricidade e alimentos. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a falta de água põe em risco a saúde das pessoas.

De acordo com o 7º boletim publicado pela Agência da ONU de Assistência para os Refugiados da Palestina (UNRWA), a água é fundamental “pois as pessoas começarão a morrer sem água. As preocupações com a desidratação e as doenças transmitidas pela água são elevadas, dado o colapso dos serviços de água e saneamento, incluindo o encerramento hoje da última central de dessalinização de água do mar em funcionamento em Gaza”.

*Com informações da Agência Brasil

Veja também: 

Governo lança site com dicas sobre como proteger crianças nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Recentes

Leia Também

Estudo da OCDE analisa criatividade de estudantes em 64 países

Partindo do princípio de que o pensamento criativo é...

Monica Nitz lança curta-metragem nesta quinta-feira (6)

ChatGPT A artista plástica e documentarista Monica Nitz lança seu...

Maldito ex: livro revela os dois lados da moeda

Maldito Ex, a sequência de Querido Ex, coloca em...
g