...

Bela Gil declina cargo e deve ser consultora de programa alimentar

Bela Gil ao lado da mulher de Lula, Rosângela da Silva, também conhecida como Janja.

A chef de cozinha recusou o convite para ocupar a Secretaria de alimentos Saudáveis, que está sendo criada no Ministério do Desenvolvimento Agrário. A pasta, porém, deve fechar um contrato para que ela atue como consultora na área em programas alimentares de alcance nacional.

O convite a Bela Gil foi feito na sexta-feira (6) pelo ministro Paulo Teixeira. Eles conversaram na manhã deste sábado (7) e a chef declinou a proposta porque não poderia se mudar para Brasília com a família neste momento, disse o ministro ao UOL.

Ela sopesou questões familiares e profissionais e não tem como vir a Brasília agora. Ela vai ser uma consultora nossa”
Paulo Teixeira, ministro do Desenvolvimento Agrário

Ainda não está definido quem vai ficar à frente da secretaria.

O plano é construir esse programa de alimentos saudáveis e ela vai ajudar”
Paulo Teixeira

No Instagram, a chef justificou a decisão:

Bela Gil participou da equipe de transição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O grupo fez um raio-x das ações do setor no governo Jair Bolsonaro e indicou alguns pontos para serem trabalhados na nova gestão.

No relatório que resume a atuação dos grupos de trabalho da transição, a equipe de desenvolvimento agrário afirma que as políticas públicas do setor foram desestruturadas no governo de Jair Bolsonaro e que isso teve impacto no preço e na qualidade dos alimentos acessados pelas famílias de baixa renda.

A desestruturação teve impacto negativo na produção agrícola, principalmente na produção local e nos circuitos curtos. Isso prejudicou o acesso a alimentos e elevou o seu preço, culminando em alterações de hábitos alimentares, diante do menor poder de compra dos consumidores e da queda na oferta de alimentos saudáveis”
Trecho do relatório da equipe de transição de Lula

Ministério foi recriado

  • Um dos focos da pasta, recriada por Lula, vai ser o estímulo à produção no campo para programas de combate à fome.
  • O programa de reforma agrária brasileiro teve redução no governo Bolsonaro: a verba média anual para o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) nas gestões de Lula era de R$ 4,8 bilhões e passou para R$ 614 milhões sob Bolsonaro.
  • O ministério foi criado em 2009 e transferido para a Casa Civil em 2016 por Michel Temer (MDB). Sob Bolsonaro, as ações do MDA passaram a ser comandadas pelo Ministério da Agricultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Recentes

Leia Também

Ministério dos Direitos Humanos investe em ações para população LGBTQIA+

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania detalhou,...

Mega-Sena: prêmio acumulado vai a R$ 80 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.730 da...

Segundo a Unicef menstruação segura ainda é desafio no Brasil

Uma enquete do Fundo das Nações Unidas para a...

Concurso da Caixa: local de prova está disponível para os candidatos

Os candidatos do concurso Caixa Econômica Federal 2024 já...
g