sábado, 25 de maio de 2024

Comunidades da Serra vão ganhar mais vida e cor com o MC.Arte; entenda

Mais de dez bairros da Serra vão começar a ganhar mais cor e vida com 13 intervenções artísticas do MC.Arte, um projeto do Movimento Cidade (MC) que leva arte para os territórios e é uma ferramenta para a mudança social de diversas comunidades.

As pinturas se estenderão até novembro e, após o término, as obras ficarão nos territórios para enriquecer ainda mais os ambientes, com histórias significativas e a promoção do senso de pertencimento e apreço pelas tradições e valores locais.

A arte é uma celebração da cultura por meio da auto-expressão. Ela pode impactar diferentes pessoas de maneiras inimagináveis, por diversas razões e em momentos diferentes, mas ela nunca é indiferente. E, com esse propósito, nasceu o MC.Arte, que acontece desde 2021 e já realizou mais de 30 intervenções artísticas, incluindo a Grande Vitória, além de outros estados, como Paraíba, Ceará, Brasília e Maceió.

As comunidades selecionadas para receber as intervenções artísticas são: Bicanga, o grafite será na sede e no muro do campo de futebol; Balneário Carapebus, no CMEI Maria Nepomuceno Dallabernardina; São Geraldo, no muro do campo de futebol; Cidade Continental – Setor África, na creche Vovó Enadina Porciliana de Almeida; Cidade Continental – Setor Ásia, na Escola Chico Mendes; Cidade Continental – Setor Oceania, na Escola Zumbi dos Palmares; Cidade Continental – Setor América, no muro do campo de futebol do América; Cidade Continental – Setor Europa, no CEMEI Espaço Feliz; São Diogo, no muro da Associação, de frente para a praça; Praia de Carapebus, o grafite será no muro da praça; e no Jardim Limoeiro, na creche Penelope.

Haverá ainda uma entrega final em duas comunidades que foram contempladas e que foram selecionadas para receber o evento do MC.Arte. Na programação está prevista a entrega oficial de duas intervenções artísticas, mostra de cinema presencial, atrações musicais e entrega de certificados para os alunos que participarão das oficinas ministradas pelo artista – e Coordenador do projeto – Handerson Chic.

Projeto MC.Arte

O MC.Arte começou em 2021 como uma plataforma que estimula, conecta, incentiva, fomenta e premia artistas urbanos das artes visuais. Entre as atividades, o projeto promove oficinas, mostras audiovisuais e intervenções artísticas em muros e outros pontos da cidade.

Por meio da curadoria do artista e coordenador artístico e pedagógico Handerson Chic, foram selecionados 12 artistas capixabas – a partir de um universo de mais de 90 inscrições. São eles: Amanda Lobos, Camz, Sklu, GraziFe, Lia, Luhan Gaba, Lu Bicalho, Musca, Nico, Rubiana Lírio, Walliston Zaki e Basi.

Nesta edição, o foco foi selecionar grafiteiros da cena capixaba, que se destacam em seus diferentes estilos de expressão. O intuito foi resgatar memórias afetividades do povo daquela região, para contar suas histórias. Cada desenho, pessoa, forma, objeto, palavra e cor escolhidos representam a cultura do território, firmando conexões entre as gerações, que se eternizam nas cidades.

“Cada arte, respeitando a estética dos artistas, refletiu um tema específico que era crucial para as pessoas que viviam lá. A maioria dos murais concentrou-se na preservação ambiental e na fauna local, destacando macacos sagui, peixes, tartarugas, aves e outros animais da região”, conta o artista e Coordenador Artístico e Pedagógico do MC.Arte 2023 Handerson Chic.

O impacto do projeto nas comunidades é perceptível. Segundo Handerson, um dos aspectos mais gratificantes é ver a colaboração constante com os moradores e os responsáveis pelas instituições, promovendo assim um senso de união e orgulho nas comunidades.

“O Mc Arte não apenas traz arte, mas também promove a educação, a consciência ambiental e a coesão comunitária, tornando-se uma parte integral da vida das pessoas e contribuindo para uma mudança positiva no espírito e nos valores das comunidades envolvidas”, declara o coordenador.

No projeto, uma das expectativas é que as obras de arte também devem atuar como fonte de inspiração, conscientização e orgulho para os residentes locais. A perspectiva é que as obras de arte contem a história da comunidade, tragam mais cor e arte, contem histórias significativas e promovam um senso de pertencimento e apreço pelas tradições e valores locais.

Leia também:

Vanessa da Mata traz turnê “Vem Doce” para Vitória; veja como comprar os ingressos

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Recentes

Leia Também

g