sábado, 18 de maio de 2024

Qual é a origem do Dia de Finados? Confira

No dia 02 de novembro ocorre um dos mais importantes rituais religiosos da tradição cristã católica, na maior parte dos países ocidentais: o Dia de Finados. É uma data para relembrar a memória dos mortos, dos entes queridos que já se foram, bem como (para os católicos) rezar por suas almas.

De acordo com a tradição da Igreja Católica, a alma da maioria dos mortos está no purgatório passando por um processo de purificação. Por essa razão, a alma necessita de orações dos vivos para que intercedam a Deus pelo sofrimento que as aflige.

Nesse contexto, o Dia de Finados era conhecido na Idade Média como “Dia de todas as Almas”, já acontecia após o “Dia de todos os Santos” (comemorado no dia 1º de novembro).

Origem do Dia de Finados 

Desde a época do cristianismo primitivo, que se desenvolveu sob as ruínas do Império Romano, os cristãos rezavam por seus mortos, em especial pelos mártires, que eram frequentemente enterrados nas catacumbas subterrâneas da cidade de Roma.

O costume de rezar pelos que faleceram foi sendo introduzido paulatinamente na liturgia (conjunto de rituais que são executados ao longo do ano) da Igreja Católica. O principal responsável pela instituição de uma data específica dedicada à alma dos mortos foi o monge beneditino Odilo (ou Odilon) de Cluny.

Odilo (962-1049) tornou-se abade de Cluny, em Borgonha, na França, uma das principais abadias construídas no mundo medieval e responsável por importantes reformas no clero no período da Baixa Idade Média.

No dia 2 de novembro de 998, ele instituiu aos membros de sua abadia e a todos aqueles que seguiam a Ordem Beneditina a obrigatoriedade de se rezar pelos mortos. A partir do século XII, essa data foi popularizada em todo o mundo cristão medieval como o Dia de Finados, e não apenas no meio clerical.

Embora o mundo ocidental venha passando por um processo de secularização e laicização desde a entrada da Modernidade, o dia 2 de novembro ainda é identificado como sendo um dia específico para se meditar e rezar pelas almas dos mortos.

Milhões de pessoas cumprem o ritual de ir até os cemitérios levar flores para depositar nas lápides em memória dos que se foram; algumas também levam velas e cumprem os rituais mais tradicionais, como orações e cânticos.

*Com informações do portal Brasil Escola

Veja também:

Festival de Música Erudita do Espírito Santo começa nesta sexta-feira (03)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Recentes

Leia Também

Mais de 98% dos territórios quilombolas no país estão ameaçados

Levantamento inédito do Instituto Socioambiental (ISA) em parceria com...

País teve 230 mortes de pessoa LGBTI+ em 2023

Em 2023, morreram de forma violenta no país 230...

Papa recebe demandas de adolescentes sobre crises climáticas

Maria Helena Garrido, 17 anos, viveu de perto a...

Greve: governo se reúne com categorias nas universidades

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços...
g